Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O MAIOR PRESENTE DA HISTÓRIA!

   Como não associar Natal ao Atlético? Ainda não encontrei forma de dissociar uma coisa da outra e também nem quero. Todos os Atleticanos do mundo acordaram no dia 24 de dezembro de 2001 com apenas um pensamento: EU SOU CAMPEÃO BRASILEIRO!

   Inesquecível. Durante todo o campeonato de 2001, jogos épicos. Como esquecer as goleadas fora de casa frente à Ponte Preta e Santa Cruz? Como não lembrar com lágrimas nos olhos do 6 x 3 no Bahia, com show de Kleber? Como esquecer daquela formação que jamais sairá da memória e da ponta da língua do Atleticano? Flavio, Alessandro, Gustavo, Nem, Rogério Correa e Fabiano. Cocito, Kleberson e Adriano. Kleber e Alex Mineiro. Claro que eu e você sempre fazemos questão de citar as participações especiais do reserva de luxo, Souza.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

PODRIDÃO E CONIVÊNCIA!

“Em meados do ano passado, os sócios do BMG criaram o fundo de investimento Soccer BR1, para operar a compra e venda de jogadores. O BMG é cotista único do fundo, no qual investiu até agora perto de R$ 50 milhões. Não é dono sozinho do direito econômico de nenhum dos 60 jogadores que possui – seu modelo de negócios privilegia as participações, nunca superiores a 50%. Dessa forma, garante o interesse de outros sócios na venda do atleta, incluindo prioritariamente o clube onde ele atua. 'Não adianta investir 100%, porque na hora de vender o cartola diz ‘‘Poxa, vou criar um desgaste com a torcida e não vou levar nada?’’ Aí, faz de tudo para barrar a negociação', afirma Ricardo Guimarães.” Só neste ano o BMG vendeu os jogadores Gil e Henrique, que atuaram pelo Cruzeiro. (REVISTA ÉPOCA)

   Estamos quase completando uma semana de rebaixamento à série B do Brasileiro. O torcedor Atleticano apaixonado e louco pelo clube, parece já ter superado o descenso e se foca nas eleições do clube.

   Enquanto “esquecemos” mesmo que por hora o rebaixamento, continuam pipocando aos montes na imprensa mineira, rumores fortíssimos sobre o resultado absurdo do clássico local. Lendo algumas dessas notícias, fiquei realmente chocado e enojado com as evidências sórdidas de entrega do clássico. Abaixo listo algumas das evidências que rolam por aí:

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

CAÍMOS SIM, MAS COM DIGNIDADE!

E a invencibilidade?

   Enfim o namoro virou casamento. E foi um namoro longo. Foram 5 anos flertando com a 2ª divisão (2006, 07, 08, 09 e 11). Vimos nosso rival cair 2 vezes de 2005 pra cá e mesmo assim não aprendemos com erros ocorridos no quintal da nossa casa. O Atlético é teimoso e teve que colocar o dedo na tomada para acreditar que tal ação resulta num choque.

   Todo Atleticano sabe que o rebaixamento não veio naquele impedimento mal marcado a favor do Cruzeiro em Sete Lagoas e muito menos durante aquela atuação apática contra o América de Minas em Uberlândia. O descenso foi “construído” durante todo o campeonato. As primeiras pedras foram colocadas quando nas 10 rodadas iniciais assinalamos apenas UM PONTO. Encaminhamos bem a obra durante todo o campeonato, com as costumeiras panes, onde deixamos jogos ganhos, virarem amargos empates ou derrotas. As 8 rodadas finais jogamos tal qual um aluno que não estudou durante todo o ano letivo e que quando vê a água bater no pescoço, tenta desesperadamente tirar o 9,5 que precisa na prova final.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

E VOCÊ, VAI DESISTIR DO ATLÉTICO?

   
    “Eu como centroavante, como o cara que tem que puxar esse time, tenho que acreditar sempre, por isso decidimos o jogo...” Washington Coração Valente, após virada histórica do Atlético sobre o Flamengo com 2 gols nos 5 minutos finais.
   E se Ziquita tivesse achado que não dava mais, ao entrar naquele clássico em 78? E se Jorginho, Nowac, Oseas, Andrei e companhia tivessem desistido aos 30 segundos do 2º tempo do Atletiba de 1997, quando tomaram o 2 a 0? E se depois de ir pro intervalo com 0 x 1 no placar da semifinal de 2001 contra o Fluminense, Souza, Kleber, Alex Mineiro e companhia tivessem achado que não daria para virar? E se em 2004, aos 42 minutos do 2º tempo Washington tivesse achado que o placar era irreversível? E se nas quartas de final da Libertadores de 2005, contra o badalado Santos de Robinho, a rapaziada tivesse desistido após tomar 0 x 1 e ter Alan Bahia expulso ainda no 1º tempo?

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ATESTADO DE INCOMPETÊNCIA!

    A vergonhosa atual situação do Atlético não pode ser creditada de forma alguma ao jogo do último domingo, contra o América. Sem pesquisar muito, somente puxando pela memória, recordo facilmente de 7 pontos perdidos pelo Atlético de forma bisonha, para times da zona do rebaixamento. (2 pts de presente pro América [C], 2 pts para o Avaí [C], 3 pontos entregues ao Ceará [F]). Somando esses 7 pontos com os 38 míseros que temos, chegaríamos a 45, número que nos livraria tranquilamente da série B.

   Apesar de toda a força feita por direção, comissões técnicas e jogadores do Atlético, chegamos à penúltima rodada com boas chances de escapar da degola. No meu último post no blog, (AINDA DÁ TEMPO!) escrevi sobre o caminho que teríamos para alcançar tal meta. Nele descrevi uma rodada com empate entre Ceará e Cruzeiro e a chamei de “Cenário Perfeito”. E não é que o tal cenário aconteceu mesmo?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

AINDA DÁ TEMPO!


   E quem disse que seria fácil? Apesar dos pesares, ainda continuamos vivos na inglória luta para não sermos rebaixados à divisão onde o co-irmão da cidade, é rei. A partida do último domingo contra o Cruzeiro, novamente me trouxe a memória a máxima que venho martelando a 8 rodadas: A camisa rubro negra tem a sua mística.

   A atuação contra o Cruzeiro foi quase perfeita. Seria perfeita se não tivéssemos tido a falha de pelada de bairro protagonizada por Renan Rocha, que parece ter medo de desmanchar seu penteado de muso de sei lá onde. Marcinho e El Morro também foram figuras apagadas em campo, porém o primeiro obviamente se salva pelo gol assinalado.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A MÍSTICA DO MANTO RUBRO NEGRO!


   Após primeiro tempo abaixo da crítica, com um gol sofrido e sem ver a cor da bola, confesso que no último domingo, pensei que a interrupção de nossa caminhada de 16 anos de série A era líquida e certa. No intervalo desânimo geral. Torcedores cabisbaixos conformados com o pior e pensando no que haveria de vir, enquanto no gramado a brincadeira do para quedas do patrocinador inflamava a torcida (NOT!).

   O segundo tempo começou e a camisa rubro negra nos mandou um recado logo no início. Gol de Nieto, completando para as redes um lindo cruzamento de Guerrón pela esquerda. Gol tão improvável e inesperado quanto as belas atuações de Adailton e Wagner Diniz, no segundo tempo. Quem diria que Diniz, chegaria a linha de fundo e colocaria uma bola flutuante com açúcar e afeto pra Nieto somente ter o trabalho de cumprimentar o goleiro e estabelecer a virada?

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

NÃO TEMERÁS A PRÓPRIA MORTE!

Honrem esse manto!

   Futebol, além de talento, grupo, comando e outros fatores, depende fortemente do fator psicológico. Quando se tem um grupo de jogadores sem confiança suficiente para desenvolverem suas funções dentro de campo, corre-se o risco de acontecerem os mais escabrosos lances de azar, falta de competência e bizarrice que o futebol pode nos apresentar.

   O ano do Atlético é com certeza o pior dos últimos 15, pois mesmo em outros anos com times fracos como o de hoje, tivemos algumas partidas memoráveis ou algum ponto positivo. No ano de 2011 só consigo me lembrar do jogo contra o Bahia pela Copa do Brasil, como partida de gala. Todos os outros jogos do ano sempre tiveram uma pitada de melancolia. Tanto é verdade, que conseguimos num período de 3 meses, ver dois gols contra de bola recuada, dentro da nossa Arena, coisa que se vê a cada 10 anos no futebol.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ÚLTIMO SUSPIRO!

   Foi assim que Paulo Baier definiu a partida do próximo final de semana contra o Ceará, na Arena da Baixada - último suspiro. Poderia ainda Baier, em vez de pedir pra torcida comparecer, agradecer a torcida por estar sempre em grande número em todos os vergonhosos jogos que fizemos dentro de casa nesse ano.

   Não vou mentir pra vocês! Acho muito pouco provável que esse time dê liga em 1 semana e que finalmente jogue 8 partidas de um modo como não fez ainda esse ano. Mas também não estaria sendo Atleticano o suficiente se já tivesse “largado os bets” antes mesmo de a vaca ter entrando completamente no brejo. Estarei novamente na Arena me irritando, ficando com dor de cabeça e sentindo muita raiva em alguns momentos, mas tudo por um simples propósito descrito perfeitamente pela amiga Ana Flavia Weidman, colunista da Furacao.com e muito boa gente, pelo twitter:


   É com esse espírito que devemos fazer nossa parte no final de semana, independente de pedido ou não de jogador ou de grau de “emputecimento” em que nos encontramos. O jeito é acreditar no

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O INACREDITÁVEL ELENCO RUBRO NEGRO!

ELENCO 2011: MUITO INVESTIMENTO E POUCO RESULTADO!

   Assistir aos jogos do Atlético tem sido o castigo dos castigos, do ano de 2011. Já tivemos de tudo: técnico “maria mole”, técnico inventor, técnico vaidoso, jogador renegado, jogador aposentado, time sem vontade, time descontrolado, time que não faz gols, volante de atacante e muitos outros adjetivos e fatos bizarros. O resultado de toda essa combinação de falta organização com a falta de um planejamento minimamente decente, nos remete a idéia de que faltou desde janeiro à direção do Clube, convicção no que estavam fazendo com pitadas de “não faço a mínima idéia de como resolvo isso”. Que outro resultado poderíamos estar colhendo, senão ser o saco de pancadas oficial do campeonato?

   Quando um time não investe no futebol, normalmente tende a ter um grupo fraco e frágil, que mesmo que consiga por algum motivo embalar em determinado momento do campeonato, quase sempre perde força. O problema é quando um clube contrata 2 ou 3 times completos de atletas e mesmo assim não consegue formar um grupo que tenha 11 titulares de bom nível, e boas peças de reposição. Comentando friamente, no atual elenco, jogam fácil com a camisa do Atlético, Renan Rocha, Manoel, Fabrício e Deivid, com menções honrosas a Paulo Baier, Marcinho, e Cleber Santana, levando em conta milhares de variáveis como idade, vontade, seriedade e outros. De um clube com

terça-feira, 20 de setembro de 2011

BÁRBAROS E BARBARIDADES!

- Bárbaros:


Arena está virando palco de Batalhas!
   Domingão, dia de jogo do Trétis, dia de almoço em família e dia também de ir ao jogo do Furacão na Arena. Após almoçar e dar aquela relaxada no sofá, parti rumo à querida Arena, palco de tantas alegrias que já tive nessa minha vida de Atleticano sofredor. Cheguei à casa de minha namorada, que reside à 2 quadras da Arena e por lá deixei meu carro. Rumei com ela para as dependências de estádio, a pé, como faço todo jogo do Trétis. Indo para o estádio, os tradicionais ambulantes oferecendo aquela “cerveja geladinha”, a rapaziada se amontoando pra comer um espetinho de gato e tudo mais. Chegando à esquina entre a Brigadeiro Franco e a Engenheiro Rebouças, a já famosa barreira policial. Continuamos andando e quando estávamos na metade da quadra, ouço o som de algo que parecia ser a trupe de Unos, liderados por Átila. Os cantos ecoavam odiosos, cheios de rancor e exaltação de uma “Zona”. Em nenhum momento ouvi alguma citação ao motivo maior que movimentava a maioria das pessoas que ali estavam: O Atlético Paranaense. Continuamos andando rumo às dependências da Arena e  nos dirigimos à entrada do lado da Arena Store. Enquanto andávamos, fiz breve revisão de valores, pensando que o foco desses caras só podia ser outro, já que saem lá de suas “zonas” pra vir até aqui cantando daquele jeito, com outros da mesma “zona” filmando tudo. Eu e muitos outros que olhavam meio ressabiados para aquilo tudo, estávamos ali por amor ao Atlético, com o

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O FOLCLÓRICO GUERRÓN!



   Ao longo da história o Atlético sempre contou com figuras míticas e folclóricas em seus plantéis. Com certeza ao conversar com torcedores mais velhos, você já ouviu inúmeras histórias de figuras lendárias que envergaram o manto rubro negro. Um dos mais conhecidos com certeza foi Ziquita, que entrou pra história do Trétis com seus 4 gols em 15 minutos em 1978.

   Penso que quando um cara resolve ser jogador de futebol ele deve ter em mente que estará em uma profissão traiçoeira, podendo ir do céu ao inferno em um mísero lance. Nessa linha de raciocínio, se um jogador não é detentor de tanto talento com a gorducha nos pés é obrigação do

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

CHAMBÃO NAS ZONAS!

O PATO VELHO VOLTOU!

   O tema do texto seria outro à algumas horas atrás, mas a notícia da volta de Antonio Lopes, inesperadamente me trouxe o otimismo de volta. Se remando junto já ta difícil, apedrejar mais a diretoria não vai ajudar em nada. O negócio agora é torcer pro Trétis permanecer na 1ª divisão e sonhar com o dia que o pessoal bem intencionado, mas mal preparado, suma do Furacão. Dezembro é logo ali!

   Em aproximadamente 24 horas, o Atlético conseguiu transformar meu estado emocional algumas vezes:

- Raiva: Quando vi o Trétis em campo, com pinta de time do Pezão, sem pegada, perdido, sem um norte. Um bando!
- Desalento: Quando vi o Trétis tomar gol de um time horroroso em plena Arena, sabendo que não teria como reverter o placar.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

UM PONTAÇO!

   Antes de iniciar a leitura do texto, peço para que você Atleticano, perca alguns minutos da sua vida e veja o vídeo abaixo, com os melhores momentos da partida.

                    


   Estive presente mais uma vez no estádio Couto Pereira – O Tremendão, acompanhando o Atlético em mais um Atletiba. Sim, sou teimoso mesmo. Tão teimoso que fui até ao último Atletiba válido pelo Paranaense, no qual por muito pouco não sofremos uma derrota histórica dentro do Pinga Mijo. Claro que a situação atual é um tanto quanto diferente, mas novamente nosso time era inferior ao deles com o alento de que agora temos alguns destaques individuais.  As lembranças dos ótimos

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

QUE PAPO É ESSE? (UM SONHO LOUCO!)

Arena e Areninha!

   Um sonho louco! Foi assim que Mario Celso Petraglia definiu a tão sonhada conclusão da Arena dentro dos padrões da FIFA e a conseqüente utilização do estádio no Mundial de 2014.

   Assim como já havia acontecido com Marcos Malucelli no mês passado, tivemos um ótimo bate papo com Mario Celso Petraglia. Conversa objetiva, produtiva e esclarecedora. A “Ata” do bate papo, está AQUI, brilhantemente descrita por Juliano Lorenz, no Blog do Torcedor do GloboEsporte.com. Não pretendendo me ater a detalhes técnicos expostos na conversa e sim as impressões que tive do ex-presidente do Atlético.

COPA DO MUNDO!

   O projeto como um todo, é sabidamente magnífico. O positivismo e otimismo como Petraglia trata o assunto, faz com que acabemos por nos sentir às portas do Mundial. Ao contrário do que vemos nos jornalecos da capital, a Copa também tem benefícios e esses não são poucos aos Atleticanos e a cidade de Curitiba. As particularidades do projeto nos remetem ao patamar Europeu de tecnologia e conforto. Gramado, iluminação, áreas mistas e arredores, anos luz à frente dos recursos da nossa atual Arena.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

COISAS DE ATLÉTICO!

O substituto de Lothar Matthäus!
   Só quem torce pro Atlético sabe que a instituição carrega algumas propriedades únicas. Uma delas nos foi novamente-desagradavelmente apresentada no amargo e gelado empate contra o Amériquinha de Minas. Perder chances de escapar com mais tranquilidade de situações complicadas ou de somar pontos preciosos numa corrida por título ou classificação para Libertadores, são coisas que estão encalacradas e enraizadas no manto vermelho e preto. Quem consegue esquecer aqueles 2 pontos deixados em Erechim em 2004, ou aqueles 2 pontinhos perdidos ano passado contra o Vasco na Arena, com direito a Inacreditável Futebol Clube com Nieto de cabeça no último lance? Não estou dizendo que os 2 pontinhos perdidos serão mortais. Apenas quero mostrar que quem acompanha o Trétis sabe que essas chances de fazer as coisas acontecerem facilmente, são quase sempre ignoradas pelo Rubro Negro.

   Quem poderia imaginar que ganharíamos do forte Cruzeiro de Montillo e empataríamos com o virtual rebaixado, Méquinha de Givanildo? O fato é que empatamos e tornamos a vitória no Atlétiba, de suma importância. Comentei que alcançar entre 10 e 12 pontos, dos 12 que disputaríamos seria ótimo. Ainda temos chance de nos mantermos dentro dos 83% de

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

COMO VOCÊ VÊ?


   Como você enfrenta as situações do seu cotidiano? Você é daqueles que vê tudo pelo lado negativo, ou é daqueles que sempre pensa que a sorte mudará a qualquer minuto e que as coisas darão certo? A forma com que você enfrenta as situações da vida rege a maneira com que você lida com o Atlético. Aquela história do copo meio cheio ou meio vazio e de como você o vê é batida, mas é muito real.

   O Atlético tem sido outro time desde que, finalmente podemos ter na ponta da língua qual é o nosso 11 titular. Mas não é só esse o fator que tem feito o time melhorar. O fator “PROFESSOR” tem sido um grande diferencial e divisor de águas entre os times que víamos entrar em campo desde janeiro e o time que joga desde a chegada do Renato. Nosso elenco finalmente está virando um grupo. Agora não somos mais aquele grupo de pagode desafinado que tocava o samba do crioulo doido, dentro de campo. O meu modo de ver o copo “metade cheio” se fortaleceu depois de assistir nossas 2 últimas partidas fora de casa. Claro que sempre quero o

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

ARROZ COM FEIJÃO, TAMBÉM É BOM!


“No futebol sequência é muito importante. Não querendo falar dos outros trabalhos, o Renato nos passa uma confiança que não dá nem pra explicar. Ele sempre diz 'vocês podem, tem que tentar, não se importem se errar'. Não é só aquela história de que o outro time é que é bom. Não, ele diz que a gente também é bom e tem que buscar a vitória”

   São com essas palavras que Cleber Santana explicou o porque do Atlético finalmente estar entrando no campeonato brasileiro de 2011. Na verdade, Cleber Santana não falou nada fora do comum, nem muito menos, Renato Gaúcho é genial. O que de fato ocorre, é que Renato Gaúcho, vem fazendo o feijão com arroz durante os jogos do Atlético. Se estamos dando show ou não, daí o papo é outro, mas sinceramente, de que adianta dar show e não vencer? Prefiro jogar na raça e sair vitorioso das partidas. Se as coisas continuarem sendo conduzidas desta forma por Renato, em pouco tempo o time estará credenciado a incluir alguns outros acompanhamentos nesta dieta de arroz e feijão. Porque não um bifinho com fritas?

   Renato Gaúcho vem começando a fazer bom trabalho aqui no Atlético justamente porque faz quase tudo diferente do que consta no “Manual do Insucesso Para Técnicos de Futebol”, elaborado por este que vos escreve e seguido pelos 5 gênios que treinaram o rubro negro, este ano. Escalações vêm

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

PEIXE SE PESCA PELO TOPETE!

                                                                                                     (Atlético 3 x 2 Santos)                         
Deivid: Jogando o fino da bola!
   Era o time sensação do Brasil, nos últimos 2 anos. Furacão na lanterninha do Campeonato, imprensa Paranaense e do eixo cantando antecipadamente vitória do Santos dentro da Arena e muitos torcedores, também cantando derrota antes do tempo, com alguns comentários sobre já estarmos rebaixados depois daquela virada absurda sofrida em Fortaleza. O que se podia esperar na Baixada, frente a um quadro tão negativo? Estádio vazio, com muita chuva e vitória do Santos ao natural. O que realmente se viu? Um estádio lotado, cantando o jogo todo e relembrando os velhos tempos da baixada, onde nada era cinza e o calor do caldeirão fazia até os grandes craques tremerem. A hora agora é de ficar de olho no Furacão, porque finalmente estamos entrando no campeonato, mesmo que com 12 rodadas de atraso.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

SE CONTAR NINGUÉM ACREDITA!

                                                                                                                                   (Ceará 2 x 1 Atlético)
- SENSAÇÃO!
  
O ANTICLÍMAX! 
 Você já foi roubado ou furtado? Quem já foi, sabe a sensação de impotência e desalento que se sente na hora do ocorrido. Ontem, após o segundo gol do time Cearense, me senti assim. Sensação péssima de quem teve o carro roubado, mas não pela habilidade da bandidagem e sim porque o carro foi deixado com o alarme desligado e a chave na ignição. 

Os gols perdidos pelo Atlético no jogo de ontem eram um triste prenuncio de coisa ruim para um time que está tentando tirar a uruca das costas. Tem chance de guardar a gordinha no barbante? Chute com força, com raiva, com vontade de recolher o goleiro pra dentro da meta, porque não sei vocês, mas se era pra errar, que pelo menos fosse dando um pancada pro gol e não uma cavadinha né Kleberson?

O papo de evolução do time pode até entrar em pauta, mas enquanto evoluímos, jogamos com vontade e quase ganhamos todos os jogos, a situação vai ficando pretíssima. Nem adianta falar em sequencia difícil, porque nesse campeonato todos os jogos são difíceis. O que me impressiona é que

segunda-feira, 25 de julho de 2011

QUE PAPO É ESSE?

   Ser ATLETICANO é ser maluco por natureza. Torcedor que sofre, joga junto com o time, fica absurdamente feliz nos bons momentos, mas também fica bicudo quando o time vai mal das pernas. Ser atleticano é gostar de estar sempre naquele bate papo com os amigos (ou com os “inimigos”), pra falar do momento do time, tirar aquele sarro dos rivais, ou até mesmo rir da própria desgraça. A internet com seus blogs, fóruns, twitters e outros inúmeros meios de interação, vêm fazendo com que nós possamos discutir e viver o Atlético, 24 horas por dia. É quase certo que em qualquer momento, haverá um Atleticano doente em algum outro lugar, cidade ou país, disposto a falar sobre as coisas do Furacão.

   O bate papo proposto pela diretoria do Atlético a alguns blogueiros e colunistas, fez com que pudéssemos ouvir diretamente as palavras do tão falado Marcos Malucelli. A conversa

quinta-feira, 21 de julho de 2011

OS MEDALHÕES RESOLVEM MESMO?

   Dia desses li sobre uma reportagem que foi publicada por uma revista esportiva britânica (Four Four Two), na qual o futebol brasileiro é destaque. Fez-se um apanhado de fatos e concluiu-se que o futebol do nosso país está regredindo. Nossa seleção nos mostra isso claramente ano após ano, cheia de craques supervalorizados, com seus carrões, correntes de ouro e cabelos/chuteiras que chamam mais a atenção do que o futebol apresentado.

   Além dos aspectos abordados dentro do âmbito da seleção brasileira, existe um outro fator que vem sendo bastante recorrente no futebol brasileiro e que contribui de certa forma para o empobrecimento do nosso futebol. O repatriamento de medalhões da bola vem se tornando cada vez mais normal entre os maiores times do país. Jogadores como Ronaldinho Gaúcho (Flamengo), Gilberto Silva (Grêmio), Adriano (Corinthians), Luis Fabiano (São Paulo), Roberto Carlos (ex-Corinthians), Mancini (Atlético MG), Deco (Fluminense), são alguns exemplos de jogadores caros, com idade avançada e que voltam ao futebol brasileiro com muita fama e pouco resultado efetivo, até o momento pelo menos. Ao contratar jogadores deste porte, clubes acabam investindo em craques do passado, e na maioria das vezes esquecem de mesclar tais atletas com jogadores de base, que são quem de fato,

quinta-feira, 14 de julho de 2011

E SE O MALUCELLI RENUNCIASSE?

Velha Baixada fervendo!

Nunca me esqueço das palavras que ouvi quando criança, de um vizinho que morava no sobrado em frente ao meu. Um sujeito simpático, bonachão, que adorava falar de futebol e assistir jogos da suburbana de Curitiba. Esse cidadão conhecia muito de bola e acompanhava o Atlético à distância. Por diversas vezes presenciei meu pai convidando-o para que nos acompanhasse até a velha Baixada pra mais um show do Trétis no ano de 1996. Certa vez, espantado com o fato do cara ser Atleticano e não ir aos jogos como todo Atleticano doente faz desde sempre, meu pai o questionou: “Porque você nunca vai a jogos do Atlético cara?” A resposta do sujeito ficou pra sempre na minha cabeça: “Não vou porque quando era mais novo comecei a me envolver em

segunda-feira, 4 de julho de 2011

QUEDA LIVRE!

Imagem: UOL Esporte
Se você ainda está aqui interessado em ler conteúdo sobre o Clube Atlético Paranaense, você com certeza é maluco como eu. Porque só não batendo bem das idéias pra se sentar em frente à televisão, e assistir uma morte anunciada, como eu e você fizemos na quinta feira, noite em que servimos de sparring para um pugilista preguiçoso chamado Fluminense. Mas o que é o Atleticano senão um maluco que renova suas esperanças desde 2007, cada vez que o time entra em campo, torcendo para que os dias dourados voltem para os lados da Baixada?

A situação atual está calamitosa. Já se tentou quase tudo dentro do Atlético em apenas 6 meses. Já trocaram técnicos, já fizeram dispensas, já contrataram vários jogadores, já falaram demais, já falaram de menos, já mudaram o esquema tático, já barraram jogador que não servia, já recolocaram o mesmo jogador 2 rodadas depois como esperança... As tentativas de acertar foram várias, porém o grande problema é que nenhuma das atitudes tomadas foi realizada com convicção. A impressão que eu como torcedor tenho, é que temos um monte de aventureiros, quem sabe até bem intencionados, achando que futebol se faz na base da

segunda-feira, 27 de junho de 2011

MANUAL DO INSUCESSO PARA TÉCNICOS DE FUTEBOL!

Sou genial ou não sou?
   Já faz algum tempo que o futebol virou um grande balcão de negócios. Os jogadores saem cada vez mais cedo dos seus países de origem para ganhar cada vez mais grana nasorópa. Com os técnicos não é diferente. Desde que nossos treineiros começaram a dirigir clubes do Oriente Médio e Japão, onde fazem seus pés de meia, a volta para o futebol brasileiro tem sido cada vez mais cara. E como no mercado imobiliário curitibano, os valores estão exorbitantes. Hoje, qualquer apartamento de 2 quartos e/ou técnico com uma fuga da segundona no currículo, custa(m) uma fortuna.

Que? Não falem besteira!
   Os “Professores”, como são chamados pela boleirada, se acostumaram a trabalhar durante pouco tempo num mesmo clube. Não existe projeto de longo prazo, apontando-se somente para uma “conquista” imediata. Missão cumprida? Hora de cair fora na primeira balançada (pedindo o boné ou sendo desligado) em busca de um novo clube que aumente ainda mais os ganhos mensais. O que mais me intriga é que mesmo trabalhando num mercado de tão grande competitividade, os profissionais da área continuam martelando sobre os mesmos erros clube após clube. Os 5 passos para o insucesso, foram elaborados de acordo com

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O ESTRANHO CASO DE JOFFRE GUERRÓN!

   Em 2008 a Warner, trouxe as telas do mundo inteiro um filme chamado “O Estranho Caso de Benjamin Button”. Pra quem não teve a oportunidade de ver o filme eu explico rapidamente. Trata-se da história de um cara que nasceu com aparência e sintomas de um idoso e que a medida que sua idade real aumentava, a idade biológica regredia, ou seja, quanto mais novo aparentava ser, mais idade tinha.

   Joffre Guerrón chegou ao Atlético em 2010, com pompa de ser o jogador mais caro já contratado no futebol paranaense. Veio com cartaz de jogador veloz e rompedor, que chega do meio campo à área do adversário com muita rapidez  arrematando forte. Campeão da Libertadores de 2008 pela LDU, fez partidas épicas, tornando-se então, alvo de cobiça de vários clubes.

   Guérron tem quase 40 jogos no Atlético e 10 gols marcados. No ano passado foi peça importante na campanha que quase nos levou a Libertadores 2011. Neste ano, o Equatoriano não fez ainda NENHUMA partida da qual possamos lembrar com orgulho. O pior de tudo, é que a cada

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O SONHO ACABOU, MAS TEM COXINHA!

EXTREMAMENTE FÁCIL!

   Como é fácil gritar pro mundo inteiro ouvir o quanto você ama seu clube do coração quando a fase é ótima. É gol de tudo que é jeito, jogador da base entrando bem no profissional, tiriça de outros clubes dando certo, imprensa idolatrando os jogadores e possibilidade de torcedores acompanharem conquistas inéditas devido as suas idades.

FICA, VAI TER COXINHA!
   Se bem me lembro, esse mesmo Coritiba que aí está, sendo quase chamado de Barcelona pela imprensa local, a pouco mais de um ano jogava fora de casa depois de punição por vandalismos cometidos pela sua própria torcida pós rebaixamento para série B em 2009. Alguns fiéis torcedores acompanharam quase todos os jogos do Coxa em Joinvile e outros muitos continuaram sendo sócios da equipe. Hoje depois do recorde nacional de vitórias seguidas e da inédita final de Copa do Brasil, bradam aos 4 cantos do mundo que possuem 30 mil sócios. O número é bonito e impressiona, mas eu quero ver mante-lo sem que o torcedor tenha retorno. O Atlético quando iniciou o Sócio Furacão, chegou rapidamente aos 23 mil associados. Quase 4 anos depois, sem NENHUM retorno efetivo ao torcedor (títulos), perdemos

domingo, 5 de junho de 2011

DÉJÀ VU ETERNO?

   Tristeza, indignação, fadiga, chateação, raiva, medo, frustração, incredulidade, conformação... Esses são alguns dos muitos sentimentos que passam antes, durante e depois dos jogos, pela cabeça e coração do torcedor Atleticano. Se fosse pra tentar listar absolutamente todos, faltaria espaço.

   A escassez de bom futebol, gols e vitórias faz com que todos os problemas do Atlético borbulhem de uma só vez. A atual fase está tão maçante, que os jornais, se quiserem, não precisam nem escrever matérias novas pra edição da Coxa-feira. Os problemas são sempre os mesmos, é só requentar.

   Hoje, absolutamente tudo é motivo para discussão e atrito no que diz respeito ao Atlético. Algumas perguntas passam pela cabeça de todos os Atleticanos: O que fizeram com o Trétis? Onde está o meu furacão? Além destas perguntas que tentamos responder

segunda-feira, 30 de maio de 2011

TRÉTIS EM: USANDO ENFORCADOR!

   Mais um jogo e mais um capítulo da novela das insanidades, teimosias e escalações absurdas. Da última vez, um adversário mediano que se explorado com um pouco mais de inteligência, poderia ter nos rendido ponto(s) fora de casa. Desta vez, um adversário completamente limitado, com 6 ou 7 desfalques e jogando dentro do nosso antigo caldeirão. O que fazer? Ir pra cima ou insistir no erro pelo 4º jogo seguido? Adilson escolheu a segunda opção.

Jogador do Trétis que tenta passar do meio de campo!
   Acompanhando o que vem acontecendo com o Atlético nos últimos jogos, tenho a impressão de que o elenco está preso a uma coleira, tentando sair do lugar, mas muito bem preso pelo seu “dono”. E pior meus amigos, a coleira é daquelas, tipo ENFORCADOR, que quando o animalzinho tenta puxar ou escapar, leva uma tremenda estrangulada pra aprender a não desobedecer o dono novamente. Explico: desde que teve início essa insistência imbecil pelo esquema a lá Barcelona, temos um time completamente desencontrado no 1º tempo e quando Adilson resolve tirar a coleira e deixar os jogadores atacarem, o time melhora absurdamente. É como se no 2° tempo, fosse tirada a coleira que estrangula e amedronta os jogadores com aquele papo

segunda-feira, 23 de maio de 2011

PEZÃO EM: CAVANDO A PRÓPRIA COVA!

   Com certeza todas as pessoas sabem exatamente o significado do termo “cavar a própria cova”. Se você não sabe, Adilson Batista te ajuda a entender. O cara chegou ao Trétis com pinta de técnico de ponta e com fama de ser Atleticano, sócio do clube e blá blá blá. A força dessa combinação de fatores foi tão forte que nós atleticanos, numa quase totalidade, nos fizemos de bobo no episódio lamentável da demissão de Geninho. Não discuto se Geninho é ou não bom técnico, mas o fato é que com os números que tinha, ficaria difícil mandar embora até o pobre Giva.

   Após chegada com mudança na postura do grupo e discurso de que o Atlético tinha que se impor como time grande que o é, Pezão vem dando aula de antagonismo. Agora o discurso é outro. Esse é um pequeno trecho da coletiva de Adilson pós derrota para o Atlético Mg: "Se tivesse entrado com Madson, Branquinho e Paulo (Baier), o prejuízo seria muito maior. Se tivesse dois atacantes e dois meias, tomava seis (gols)". Então quer dizer que antes deveríamos nos portar como grande clube e

quinta-feira, 19 de maio de 2011

VAI COMEÇAR DE NOVO!

   Sábado é dia de Trétis em campo estreando no Brasileirão 2011. É dia de novamente renovarmos nossa crença em tentarmos repetir mais um brilhante campeonato como o de 2001 ou outro campeonato empolgante como em 2004. É dia de fazer de conta que nada aconteceu até aqui e acreditar que esse time vai encaixar e voar baixo. É dia de acreditar até o fim, até dezembro. Fazer o que? Somos atleticanos, e só quem o é sabe da paixão muitas vezes não correspondida que vivemos desde sempre.

   Adilson tem bons retrospectos nos últimos campeonatos brasileiros que disputou e sinceramente acho que tem um time razoavelmente bom em mãos. Nosso elenco tem alguns jogadores nos quais podemos confiar como, por exemplo, Renan Rocha, Rômulo, Manoel, Deivid, Paulo Baier, Mádson, Branquinho, Adaílton e Nieto. Outros ainda que já mostraram ter potencial e que podem ajudar muito se quiserem, como por exemplo, Rafael Santos, Paulo Roberto, Cleber Santana, Heverton e Guerron. É cravar um esquema tático que a boleirada entenda e largar a síndrome de Barcelona. Futebol é coisa simples, que técnicos teimam em tentar fazer parecer difícil, tipo aquele professor de matemática que todo mundo já teve um dia.

   Torcer pro Atlético é como estar em uma montanha russa muito doida. Tem susto, tem grito e tem medo, mas no final todo mundo sai feliz da vida!

sexta-feira, 13 de maio de 2011

PROFESSORES GENIAIS!

   Mais uma desclassificação prematura nesta bendita Copa do Brasil. Mais uma vez a sensação de que poderíamos ter ido bem mais longe dentro da competição.

   Após o 1° jogo contra o Vasco, pelas quartas de final, pensei em escrever um texto com esse mesmíssimo titulo, porém pensei – Acho que a lição foi aprendida hoje! Enganei-me redondamente. Tivemos uma semana de treinamentos com todo tipo de recurso moderno e blá blá blá, para entrarmos em campo desse mesmo jeito, SEM JEITO NENHUM!

   Após breve relembrada sobre os últimos técnicos que por aqui passaram, chego a conclusão que os mesmos não viam ou vêem o Atlético como um clube de futebol e sim como um grande laboratório onde podem produzir monstros bizarros.

   Ouço também aquele velho mimimi de que precisamos de reforços senão o mundo irá acabar, porém parem e olhem as peças que temos. Analisem sem pensar se os jogadores são nossos, emprestados, juniores ou veteranos. Nosso time em comparação com o elenco do 1° semestre de

sexta-feira, 29 de abril de 2011

NÃO SOU VOCÊ!

   Despretencioamente, li um texto que mais pode-se chamar de comentário sobre 7 propostas jogadas ao vento. Os tópicos são as propostas da chapa Coração Atleticano, encabeçada por Marcos Malucelli e apoiada por Mario Celso Petraglia. O texto foi postado no http://wwwespacoatletico.blogspot.com e é de autoria de Camila Lopes F. Provenzano. 

   Já comentei aqui neste espaço que Malucelli depois de chegar ao poder, tentou e tenta de todas as maneiras ser completamente diferente de Petraglia. Uma das principais mudanças pregada pelo atual presidente é a abertura das portas do clube para a imprensa e aproximação com a torcida. A aproximação com a imprensa depois da abertura dos portões do Ct do Caju é incontestável. Mas o que isso nos trouxe de benefício? Até agora nenhum. Fofocas e mais fofocas são criadas pela demanda gigantesca de informações que vêem quentinhas de dentro das pomposas paredes do Ct mais moderno do Brasil. É boato de jogador em balada, é discussão de um lado, é afastamento de outro. Tem de tudo. O que era pra ser uma aproximação, virou uma terceirização do Atlético no que diz respeito a assessoria de imprensa. Claro que discordo da cortina de ferro que existia no Atlético nos tempo de Petraglia, mesmo porque tudo que é feito  demasiadamente, acaba

segunda-feira, 25 de abril de 2011

PORQUE COMPLICAMOS TANTO?

   Me faço essa pergunta desde ontem. Porque complicamos Atletibas? Comecei a me lembrar de alguns jogos onde conseguimos complicar tudo em poucos minutos. O Atlético parece que não tem meio termo em clássicos. Ou entra sem vontade nenhuma, ou entra com vontade de mais, a ponto de quase matar o adversário.

   Atletiba em 21 de Outubro de 2001. Atlético com um baita time que viria a ser campeão brasileiro no final daquele ano. Comecinho de jogo e Rogério Correa é expulso "burramente". Jogo igualado contra um adversário muito inferior. Placar final, 0 a 0.

   Atletiba em 11 de Abril de 2004. Atlético com grande elenco disputa final do regional contra o Coxa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

TIME SEM VERGONHA?

   Pensei na pergunta do título do texto durante boa parte do 2° tempo do jogo do Trétis contra o Paranavaí. Sou daqueles  que sempre tenta ver o lado positivo das coisas. Faço isso porque quando se começa a ver tudo pelo lado negativo, não há evolução, elevação e se sente um cansaço que não é físico, é uma coisa mental.

   O pensamento sobre o título deste texto, se deu pelo grito puxado pela torcida Os Fanáticos. Evidente que o time não fez um bom primeiro tempo. Evidente também, que era um time completamente diferente e cheio de desfalques. "Evidentíssimo" que o gol dos caras, foi tipo um eclipse que acontece de 70 em 70 anos. Triste foi ver que mesmo com todas essas evidências, quem mais deveria apoiar e empurrar o Atlético, não pensou 2 vezes em começar a cantar "-Vergonha, vergonha, time sem vergonha!". Naquele momento passei a apoiar sozinho e mentalmente o time. Enquanto isso, durante 16 minutos vi torcedores do Atlético vaiarem impiedosamente Bruno Costa e entrarem no grito de vergonha da tal organizada.

Foto: Furacao.com - Joka Madruga / Lindíssima foto de Adaílton comemorando um dos seus gols!

   Mas espera um pouco... Como chamar o negão Adailton de sem vergonha? Pode ser que amanhã ou depois ele se apague e vá embora daqui como tantos outros, mas um cara que dá 3 dribles lindos como ele

quinta-feira, 7 de abril de 2011

NOVELA MEXICANA!

   O Atlético está parecendo uma novela mexicana. Cheia de personagens caricatos, dublagens mal feitas e situações que fazem o telespectador rir pra não chorar. Na novela mexicana gravada no Ct do Caju, num mesmo jogo, jogador é mocinho, vilão e mocinho de novo. Técnico é traído e o "amante" aparece mandando em casa um dia após o ex dono da casa se mudar. No outro capítulo, vilões são eliminados e junto com eles, levam um queridinho do público. Podem acreditar que tem muito mais por vir...

   Desde domingo, uma semana mais do que agitada pra toda torcida do Trétis. A novela começou agitada. Você provavelmente como eu, vive e respira o Atlético. Quando as coisas estão balançando no CT do Caju, é inevitável que surja a preocupação.

BláBláBlá!!!

   O domingo de clássico, mais parecia dia de amistoso pra boa parte da torcida do Atlético. Óbvio que perder o jogo no PPV já é demais, mas aquela ânsia por comprar o ingresso e ir pra Vila, confesso que não tive. É difícil sair de casa pra ver o que vi das arquibancadas do pinga mijo no primeiro turno. É dureza! O jogo foi corrido e brigado, mas vencemos o freguês novamente ao natural. O destaque do jogo foi o grande nanico Mádson, o FODA! Sabe-se que o guri é bastante

sexta-feira, 1 de abril de 2011

ARENA CINZA, ARENA RANZINZA!

   Uma vez parei pra pensar quantas vezes eu já havia ido a Arena da Baixada. Nem perdi muito tempo pensando, porque já foram tantos jogos assistidos dentro do melhor estádio do Brasil, que é praticamente impossível contabilizar. O que sei é que com certeza tive muito mais alegrias do que tristezas, assim como a grande maioria dos que lêem esse texto agora.

   No primeiro jogo da Arena, uma vitória épica com um golaço do querido Vanin, jogador que não sei de onde veio e muito menos sei pra onde foi. O fato é que a primeira vitória já foi sofrida e emocionante. Desde então grandes jogos aconteceram naquele gramado. São tantos grandes jogos que só listando-os, o texto ficaria gigante.

   Em 1996, naquela eliminação na velha Baixada frente ao Galo, vi meu pai chorar pela primeira vez. Confesso que fiquei muito surpreso ao ver aquela cena. Na hora não entendi bem, porquê um jogo faria meu pai chorar baixinho enquanto saia da arquibancada com a mão em meu ombro. Anos depois, quando via o Trétis pisar no gramado da Arena, o hino tocar, a torcida levantar e aquele clima de tesão que envolvia a baixada começar, confesso que a garganta dava aquela travada. Era emoção o que eu sentia quando o início do jogo se aproximava. E depois do gol do Gustavão na final do Paranaense contra os Coxas? Os olhos ficaram marejados. E quando o juiz marcou pênalti em Adriano aos 40 do segundo tempo, numa final de

quarta-feira, 23 de março de 2011

MALUCELLI EM: TENTANDO SER PRESIDENTE!


Promessas da chapa de Malucelli.

   Malucelli é um daqueles caras que falam demais. Todo mundo conhece um cara desses. Eles são daqueles que querem explicar o inexplicável e justificar tudo que acontece. O fato é que como dizem os mais velhos, "quem fala demais, dá bom dia à cavalo". Joguei a palavra "MALUCELLI" na ferramenta de busca do maior site de informações sobre o Atlético, a furacao.com. O que vi foram inúmeras notícias envolvendo o nome do atual presidente do Trétis, e quase que 80% delas, com o cara confirmando minha idéia de que se o senhor de cabelos brancos trabalhasse mais de boca fechada e desse menos entrevistas, as coisas no Atlético poderiam estar bem melhores hoje.  

   Separei algumas notícias para demonstrar que Marcos Malucelli pode até ser um cara esforçado e bem intencionado, mas desde sempre foi muito mal, e hoje, além de ir mal, se deixou levar por um sentimento "conspiratório", onde tudo e todos têm culpa sobre coisas que ELE próprio assinou em baixo.

01/08/09 - Malucelli diz que o Atlético não tem interesse na contratação de Antonio Lopes. Dois dias depois, o delega estava confirmado.

segunda-feira, 21 de março de 2011

CHEGA DE INCOMPETÊNCIA! (por @HenStockler)

   
   Devo confessar que ultimamente anda bem chato escrever e conversar sobre o Trétis. Isso porque o assunto é sempre o mesmo: a incompetência de Malucelli e seus comandados! Hoje quando algum Coxa vem conversar sobre mais um dos grandes feitos do Atlético, me rendo a dizer que ELES serão campeões esse ano e que nosso time é bem fraquinho mesmo. 

   O que está sendo feito do Atlético meus amigos? O fenômeno é o mesmo que ocorreu na seleção, quando tínhamos Dunga como "professor". Se antes a seleção era conhecida pela irreverência, malandragem, pagode, balada e amizade com a Globo, depois da chegada de um dos sete anões no comando, TUDO isso foi mudado radicalmente. Passou-se a trancar os jogadores em concentrações que mais pareciam fortalezas vigiadas, com direito a treinos fechados, 53 volantes no país do talento no esporte bretão e pasmem senhores, teve até picuinha com a poderosa. No Atlético, se antes tínhamos um regime quase que ditatorial,

quinta-feira, 3 de março de 2011

PORQUE TÃO CHATOS? (por @HenStockler)

   
   Sim, a torcida do Atlético passa por um processo de COXINIZAÇÃO. Isso mesmo. Estamos ficando igual a cansada e melancólica torcida verde. Isso porque os dois clubes passaram pelas mesmas situações em momentos diferentes. 

   Principalmente na década de 70, pelo que sei e pelo que a história conta, a coxarada dominou o Estado do Paraná. Era uma festa. Tinha título paranaense todo ano, tinha juiz comprado pelo Evangelino, tinha elenco qualificado, tinha excursão pela Europa e tudo mais. Com a proximidade do fim do século, parece que as forças do vovô Coxa foram se esvaindo e a partir de 95, foram arruinadas de vez. Seu maior rival, mesmo sem títulos seguidos, tinha e tem maior torcida, construiu uma grande estrutura e começou a figurar entre os

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

UFA, ELES TEM VERGONHA NA CARA! (por @HenStockler)

Alguns jogadores tomaram ontem!
   Quem acompanhou o jogo pelo querido PFC, ou quem é maluco como eu e foi a Arena passar frio, viu que pelo menos um pouco de vergonha na cara esses jogadores tem. Ao entrarem em campo, ficou nítido que não esperavam ser xingados e vaiados. Não sei qual foi o papo que Geninho teve com a boleirada nem o que eles mesmo podem ter conversado entre eles, mas o fato é que o Atlético ontem finalmente entrou em campo com seriedade. Mesmo quando o Rio Branco tinha 11 jogadores em campo, o leão da estradinha não conseguiu em nenhuma oportunidade entrar dentro da nossa área com aquela facilidade com que outros times já entraram esse ano.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

VEXAME NA SELVA! (por @HenStockler)

   Mais uma derrota. Mais um vexame. O ano de 2011 ainda não começou para o Atlético. Observo torcedores tentando explicar o inexplicável e quase nunca conseguindo chegar a uma conclusão sobre esse Clube complicado chamado Atlético Paranaense. 

   No 1° jogo da Copa do Brasil, um time do Acre, formado a 2 semanas, sem preparo físico, e com um ex jogador do clube treinando o elenco. Pois é, nem assim conseguimos jogar bem, nos classificar com um jogo só e enfim tentar começar a convencer a torcida. Já escrevi num texto anterior que o time do Atlético hoje é a cara de quem o comanda. Imaginem a cara do nobre estagiário News. Imaginem a infinidade de besteiras ditas e prometidas pelo Malucelli. Isso tudo se reflete dentro de campo. Existem pessoas que para renderem no trabalho precisam de regras, horários, cobranças de resultados entre outros. Não que no Atlético isso não exista, mas pelo que percebo, ninguém tem medo "do chefe". As coisas no Atlético são

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

CHEIRO PODRE NO AR! (por @HenStockler)

   Você não está sentindo o cheiro de podre no ar? Não, não é o cheiro do fétido estádio verde. É alguma coisa bem maior que já está dentro do Atlético a bastante tempo. 
Dois dos poucos que se salvaram!

   O futebol apresentado ontem no clássico foi o retrato do que é o Atlético hoje. Um clube que tem lampejos de time com potencial mas que na verdade vive num marasmo técnico administrativo já a algum tempo. Só para termos uma idéia, a atual direção de futebol, essa mesma que NÃO PROCURA TÉCNICO EMPREGADO EM NOME DA ÉTICA, ainda não ganhou um Atletiba, e penso que dificilmente conseguirá ganhar.

   Dentro de campo um time armado de maneira obscura. Primeiro, Claiton, jogador que em 3 jogos fez 1 ótimo jogo contra o Panará e 1 gol contra o Paranavaí, foi sumariamente sacado do time titular e não foi nem levado pro banco de reservas. Não acharam nada estranho nisso? Em

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

ESCONDENDO O GARDENAL DO VOVÔ! (por @HenStockler)

Los 3 Inimigos. (Tiago Recchia)
   Domingo é dia de Atletiba e tudo leva a crer que será um grande jogo. Isso porque Atlético e Coritiba, ao menos nos papel, contam com elencos fortes neste ano. Como todos que acompanham futebol sabem, clássico nunca tem favorito, independente da fase do time ou do elenco que ambos possuem no momento. Quando eu falo em clássico, falo de Atletiba. Que me desculpem os 150 paranistas restantes, mas contra o "Morto Muito Louco" sempre somos favoritos. 

   Como eu e você sabemos, o Coritiba é como aquele Vovôzinho que fala umas besteiras de vez em quando devido a idade avançada. As vezes pensa que é jovem, rico e poderoso, quando na verdade é apenas um vélhinho que toma Gardenal. (Para saber mais sobre tais alucinações clique aqui). O grande problema é que em clássico o véinho

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

QUEM É O DIABO? (por @HenStockler)

Quem fala a verdade? Quem mente?
   Já escrevi aqui neste espaço um texto sobre a conturbada relação entre Petraglia e Malucelli. A grande verdade é que até hoje, muitos torcedores devem ficar com um baita ponto de interrogação pairando sobre suas cabeças: Quem é o diabo da história? Quem realmente fala a verdade?

   Não nego que eu seja contra a atual diretoria e um grande admirador do vanguardismo de Petraglia. O fato é que com eleições no clube se aproximando o ambiente parece estar ficando cada vez mais agitado. De um lado, Petraglia faz uso de sua maior ferramenta de exposição de idéias: o twitter. Lá já atacou desafetos por diversas vezes, inclusive com ofensas de cunha moral e pessoal (com as quais não concordo). Expôs várias vezes também, sua idéia consolidada de não voltar a presidir o maior clube deste Estado. Nos últimos dias tem chamado torcedores e admiradores do seu trabalho para que se associem a Assocap, unindo assim forças para que tenhamos uma voz ativa dentro do clube. Muito interessante, porém se nos lembrarmos bem dos últimos 3 anos da gestão Petraglia, torcedores não possuíam nenhum tipo de direito a opinião e voz ativa dentro do Clube. A mudança de discurso, para uma agora

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

NA COLA DOS PORCOS!!! (por @HenStockler)

News com seu sorvete imaginário!
   Ok, eu sei que o Atlético não tá jogando aquele futebol bonito de ser ver, mas vamos dar um crédito ao estagiário Leandro que está com 100% de aproveitamento no Ruralzão. Aliás, Leandro quando efetivado no ano passado, teve um início muito bom, com boas vitórias. Tudo isso porque ao iniciar o trabalho decidiu ir pra cima dos adversários para atropelar. Depois da 3ª ou 4ª vitória encasquetou com a síndrome do técnico burro, e bu"RR"ocratizou o time colocando mais 1 volante no meio campo. Estava a partir daí, celada sua derrocada.

   A situação de hoje é mais ou menos a mesma. Leandro entrou no comando fazendo o que a torcida queria. Afastou algumas peças que estavam desagradando e colocou em campo jogadores como Heracles e Silvio. A grande questÃ, é até quando Leandro consegue levar um grupo de jogadores experientes, com seu jeito estagiário chorão. O Atletiba tá aí, e espero que se ele ainda for o técnico, consiga motivar a boleirada.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

TORCEDOR OU PALHAÇO? (por @HenStockler)

      Eu confesso que no começo do ano cheguei a pensar que estes senhores que comandam o clube hoje, estariam enfim, entrando nos eixos e fazendo futebol profissional, sem amadorismo ou tacadas juvenis. Me enganei redondamente. 

   A contratação de Lucas e a vinda de Mádson eram nada mais que o famoso "engana trouxa". Após estas duas boas apostas, logo nos primeiros dias do ano, a "duplinha" já iniciava seu serviço. A venda de Neto foi quase tão absurda quanto a transação amadora de hoje. Vender um jogador NA PRIMEIRA OFERTA OFICIAL, sendo que este será o goleiro da seleção nas olimpíadas e tinha contrato conosco até 2015, é ser muito amador. A valorização que o rapaz teria, seria gigantesca, bem como a bolada que ganharíamos com uma venda futura. O papo de que

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

E O PLANEJAMENTO? (por @HenStockler)

E o planejamento???
   
   O Campeonato Paranaense já começou e... bom, não há outro campeonato que o Atlético dispute, tão chato de se ver. Em resumo, é um campeonato onde sempre acontecem as mesmas coisas. Atlético ou Coxa são campeões, algum time do interior se destaca pra delírio da Revista RPC e o Paraná Clube faz vergonha. São 2 meses empurrando com a barriga, e somente 2 ou 3 jogos que valem a pena (se houver).

   Pois bem meus amigos. Mesmo sabendo de tudo isso aí, o nosso querido Atlético continua "refém do sistema". Todo ano vemos nossos diretores arrotando sobre PLANEJAMENTOS. Eles que me desculpem,

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

MUITO FÁCIL NÉ? (por @HenStockler)

   Quem foi a Arena nesta tarde ensolarada achando que veria o Trétis dando show e goleando o pobre coitado do Arapongão (sim, assim foi chamado durante a transmissão do PFC), se enganou. O que vimos foi um Atlético sonolento e trotando em campo, enquanto naturalmente os jogadores do interior se desdobravam em correr pra tudo que é lado, tentando se destacar dentro da casa do maior clube do estado. 

   Claro que ouviremos todo aquele papo de que é muito cedo pra analisar e tudo mais. Mesmo assim penso
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...